PRÉ-ESTREIA
Sábado, 11/2 – 21h

Direção e Roteiro: TOMÁS WEINREB e PETR KAZDA

Elenco:
MICHALINA OLSZANSKA como Olga
MARTIN PECHLÁT como Miroslav
KLÁRA MELÍÅ¡KOVÁ como mãe de Olga
MARIKA Å OPOSKÁ como Jtika
JURAJ NVOTA como Advogado Kovár
MARTA MAZUREK como Alena
ZUZANA STAVNÁ como irmã de Olga

Apresentação

Filme de Abertura do Panorama do Festival de Berlim Eu, Olga Hepnarová, dos diretores Tomás Weinreb e Petr Kazda é uma história baseada em fatos reais. Uma narrativa sem julgamentos sobre a última mulher executada na Checoslováquia , na década de 1970.

Co-produção entre República Tcheca, Polônia, Eslováquia e França, a obra foi apresentada durante a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em 2016.

Trata-se do primeiro longa-metragem da dupla de diretores e foi o filme de abertura da Mostra Panorama do Festival de Berlim no ano passado.

Premiação

Sofia International Film Festival (Prêmio de Melhor Direção)
Hong Kong International Film Festival
Vilnius International Film Festival (Prêmio de Melhor Filme)
Guadalajara International Film Festival
Karlovy Vary International Film Festival
Taipei Film Festival
Festival du Film Subversif de Metz(Prêmio do Júri e Prêmio do Júri Jovem)
Melbourne International Film Festival
Reykjavik International Film Festival
ART FILM FEST KoÅ¡ice(Prêmio de Melhor Atriz)
Minsk International Film Festival (Melhor Direção e Melhor Atriz)
Tarkovsky Film Festival -Zerkalo (Grande Prêmio da Crítica Jovem)
Festival de Berlim -Panorama (Filme de Abertura)

Imprensa

“Os diretores entregaram uma estreia excepcionalmente madura e cativante.”
Cineuropa

“Através da verdadeira história de Olga Hepnarová, o filme ilumina de forma interessante a construção psicológica dos assassinos em massa.”
Les Fiches du Cinéma

“Michalina Olszanska, com ares de uma Natalie Portman eslava, incorpora perfeitamente a modernidade de controle da personagem”
Première

Sinopse

Olga Hepnarováera uma jovem, lésbica e solitária, de uma família emocionalmente distante, e que não conseguiu desempenhar o papel que a sociedade desejava dela.
Seu comportamento paranoico e sua incapacidade de se conectar a outras pessoas levaram-na ao limite quando ela tinha apenas 22 anos de idade. A história daúltima mulher executada na Tchecoslováquia.

O filme mostra o ser humano por trás da assassina em massa sem glorificar nem minimizar o terrível crime que ela cometeu.
Guiada por suas cartas, mergulhamos na psique de Olga e testemunhamos o agravamento de sua solidão e alienação ao reconstruir os eventos que levaram a suas ações desastrosas.

O mal faz parte do ser humano. Embora a história se passe na década de 70, jovens de todo mundo, hoje, ainda enfrentam problemas por não pertencer a um grupo, por serem diferentes e são intimidados por causa de sua raça, gênero ou orientação sexual.


Trailer